Best of England III

21 02 2010

Sem dúvida iPlayer e 4oD.

O que é? Assim que os programas passam na televisão ficam disponíveis online nos canais da BBC ou do Channel4, durante um determinado período de tempo (mínimo uma semana).

Para quem? Para quem não gosta de televisão, ou melhor, para quem não quer estar restrito a esperar por determinada hora para ver algo interessante na tv (não é só em Portugal que a programação televisiva deixa muito a desejar) e se recusa a ver programas completamente irrelevantes (televonelas, programas de conversas e chás, etc, etc). Para quem trabalha horas estranhas. Para quem não quer pagar um balúrdio para ter os serviços por cabo. Para quem não aguenta esperar uma semana para ver o próximo episódio (eu espero até ao fim das séries e vejo tudo de rajada).

Porquê? Porque, apesar de não ter televisão, há muitos documentários, filmes, séries e até mesmo concursos interessantíssimos.

E um desses concursos que me acompanhou desde o início do ano foi o “So you think you can dance”. Para amantes de dança como eu (ver este e este post), este concurso é uma luxuria com vários estilos de dança executados por bailarinos excepcionais que, semana após semana, crescem a um ritmo inacreditável. E algumas das rotinas são tão mágicas que é impossível não ficar em transe emocional a seguir aqueles movimentos. O meu preferido; o que me deixou sem palavras, só com lágrimas nos olhos, mesmo nunca tendo passado por esse drama (felizmente):

PS: Já agora, nunca é demais relembrar que é essencial a auto-palpação. Para mais informações, clicar aqui.

Anúncios




Ainda a dança

29 04 2009

Como hoje é o Dia Mundial de Dança, fica aqui uma homenagem ao ballet clássico, que há 16 anos (uns mais seriamente do que outros) é uma parte tão activa da minha vida. Muitos calos a trabalhar as pontas (e que saudades agora tenho), muitas aulas feitas que começaram num “não me apetece mesmo nada”, muitos espectáculos (a homenagem aos Queen continua a ser a mais especial), muitas horas a exercitar a elasticidade. As pauladas na barriga e no rabo, para me “lembrar” que tinham de estar para dentro. Os dias de exame, em que eu ficava sempre tão nervosa com aquela formalidade que coçava desenfriadamente as costas, o que resultava entrar no Exame completamente arranhada… A postura formalíssima da examinadora (inglesa ou francesa), os olhares de cumplicidade com a pianista, para nos “ajudar” a manter o ritmo. Muitas alegrias mas também algumas tristezas… Mas sempre comigo, mesmo mudando de país, a linguagem que aprendi com a RAD (Royal Academy of Dance) continua internacional.

E, num dos videos mais impressionantes que já vi, a beleza da dança e uma música excepcional:

Since today is the International Dance Day, I want to celebrate classical ballet that, for 16 years (some more seriously than others), is such an active part of my life. Loads of callus from point-work (how much I miss it now), a lot of classes that started with a “I really don’t feel like it today”, loads of performances (tribute to Queen is still my favourite), loads of hours exercising elasticity. The number of times my teacher beat my tummy and my bum with a stick, to “remind” me that they should be tucked in. The examination days, during which I got so nervous with all the formality around it that I used to scratch my back, resulting in me starting the exam with loads of marks on my back… The formality of the examiner (English or French); the complicity looks to the pianist, to “help” us be on time. Loads of joy but some disappointment as well. But always with me, even moving countries, the language I’ve learnt with RAD (Royal Academy of Dance) remains international.