Dance!

29 04 2009

Dançar,  sentir os vibrados das notas musicais percorrer o corpo e dar forma a todas as emoções que se vão sentindo.

Dançar, transformar-se em plasticina e esticar, rodopiar, dobrar.

Dançar, ouvir, rir, chorar.

Dançar rápido, dançar devagar.

Dançar, dançar, dançar.

Dançar em pontas, seguindo os padrões classicos que há vários séculos encantam a humanidade.

Dançar descalço,levantar a poeira, acordar e chamar a atençao dos deuses.

Dançar num sofá, a abanicar de um lado para o outro.

Dançar no chuveiro, estendendo os movimentos aos salpicos de água.

Dançar com a cabeça, para a frente, para trás, lado, lado.

Dançar com o pé, bate, bate, bate, sou eu que marco o ritmo!

Dançar sozinho, dançar com um par.

Dançar em frente a uma multidao, mas sozinho com as emoções.

Danças de salão, africanas, indianas, clássicas, modernas, medievais, folclóricas.

Dançar em bebé, dançar na reforma.

Dançar para revitalizar.

Dançar para sorrir.

Dançar para exprimir.

Dançar para se ser.

A todos os bailarinos/dançarinos deste mundo fora, desde os clássicos, aos contemporâneos, dos das dancas de salão aos de sofá, dos batedores ritmados do pé aos abanadores de cabeça. Todos dançamos. Todos. Por isso, um feliz Dia de Danca.

Anúncios