Worst of England II

22 02 2010

(from a Portuguese point of view)

E já agora, uma das inglesices que mais desgosto: a pontualidade inglesa! Sim, sim, a pontualidade!

Já sei que se todos fossemos pontuais ninguém ficaria à espera, ninguém desperdiçaria tempo…

Mas, dizer a convidados para aparecerem por volta das 7:00 e às 18:56 a campainha estar a tocar é demais!!! Principalmente, se por detrás da campainha estiver uma portuguesa que, não só ainda não tomou banho, como ainda está a acabar de preparer os aperitivos!

Resultado? Pois… Bacalhau com natas era bom, não era? Pois era… Foi antes um empadão de bacalhau sem sal…

Com o stress de tomar banho e arranjar-me enquanto os convidados subiam 4 andares de elevador, pôr a mesa com eles já sentados e enquanto cozinhava (e mencionei o facto de não gostar de cozinhar???), acabei por cozer as batatas em vez de as fritar!!!! Bacalhau com natas! … Era bom, pois era… Vergonha!!!!

E já há uns tempos, numa festarola organizada no meu mini-apartamento, dissemos a partir das 9:00 e claro, às 8:45 já estava a primeira convidada, sozinha, sentada na sala a olhar para mim e para o meu chico transformados em baratas tontas a acabar tudo… E vá lá que dessa vez eu até já estava arranjada! 😉 E como ela disse “fashionably early”… no comments!

Conlusão: quando convidarem ingleses estejam prontos meia hora antes do combinado porque é certinho que, pontuais como só eles, estarão à vossa porta entre 5-10 minutos antes da hora (sim, um confessou-me ter estado 15 minutos à porta, ao frio, para garantir que estava na minha casa à hora combinada…)!





Party?

18 02 2010

Sim, mas sem destruir a casa do hóspede…

Na última festa o trinco da casa de banho deixou de funcionar…

Como sou uma azelha com portas e fechaduras, resolvi rodar para um lado.

Nada.

Para o outro.

Nada.

A maçaneta rodava, rodava e o trinco nada…

Já ia chamar alguém pela janela (que ainda tentei ver se daria para saltar, mas para além de ser num 1 andar, não consegui ver um parapeito para pousar o meu pezinho de cinderela por isso não arrisquei…) quando as bexigas cheias começaram a trazer pessoas à casa de banho. Sim, era a única…

Muitas tentativas de ambos os lados da barricada. Desmantelamos a fechadura mas claramente o trinco não se ia render…

Felizmente para mim, infelizmente para o dono da casa, as bexigas falaram mais alto e ao “um , dois eeeeeeee …. TRÊS!!!!!” a porta foi aberta por uns quantos pares de ombros.

Resultado avaliado só depois das bexigas estarem vazias: ombreira da porta partida, porta rachada e trinco novo e reluzente intacto.

A culpa não foi minha, não. Foi da porta ser nova e ter um trinco novo e bom. Mas já noutra festa na mesma casa eu tinha partido a mesa de jantar, quando tive a brilhante ideia de descansar o meu bumbum por uns minutos…





Sushisada

21 01 2010

Quando fiz Erasmus, em 2005, a irmã de uma japonesa estava a visitá-la e resolveram organizar uma Sushi Party. Foi uma loucura e soube ainda melhor por termos sido nós próprios a fazer.

Mas, claro, leram bem… Com ajuda de 2 japonesas!

Noutro dia lembrei-me de voltar a tentar e why not? Telefonar a uns amigos, comprinhas, prepar o arroz, cortar os ingredients e começar a enrolar quando o pessoal chegar! E num instantinho, sushi para 7! Claro que uns estavam melhores e mais bonitinhos do que outros, mas foi uma noite espectacular e a repetir!

PS: E eu que detesto cozinhar, acho que encontrei a receita que não me importo mesmo nada de fazer!