Ai, saudades…

7 08 2010

Há medida que o tempo vai passando, Inglaterra tem se transformado na minha memória e ganho um carinho muito especial. Imensas coisas me deixam saudades, a variedade culinária a qualquer esquina, a boa educação e principalmente a tolerância para com os outros.

Mas hoje é um dia especial em Leicester. Hoje gostava lá estar para o famoso Leicester Caribbean Carnival. É um festival que sempre me foi muito especial, já que me trazia um bocadinho de tudo que mais falta me fazia: muitas cores, desfiles, música, comida na rua, tudo ao estilo dos meus queridos Santos Populares.  Quer S. Pedro estivesse de boa ou má disposição (no ano passado chovia cats and dogs), haveria sempre desfile a acabar no enorme Victoria Park, para logo confortar o estômago e os sentidos com um caril de cabrito com arroz de feijão.





Worst of England III

23 02 2010

Numa altura em que tanto se questiona a liberdade dos portugueses (não me vou alargar sobre isto, apenas vejo o poder dos media a crescer e controlar tudo o que é agenda política em Portugal…), gostava apenas de deixar uma ideia do que se passa actualmente em Inglaterra para que se possa relativizar a situação no nosso país.

Como toda a gente sabe, o UK foi alvo de ataques e muitas tentativas que abalaram e assustaram os cidadãos. Resultado? Leis anti-terrorismo têm sido implementadas que afectam o direito à privacidade e consequentemente à liberdade de toda a população.

1. Em todo o lado há CCTV (câmaras que filmam 24h/7). Por um lado, faz-nos sentir mais seguros já que se algo acontecer facilmente de prova quem são os responsáveis. No entanto, a criminalidade não diminuiu e está mais do que provado que a presença das câmaras não a evita… Para além disso, nunca ninguém conseguiu explicar o que acontece a todas as gravações: são guardadas por quanto tempo, vistas por quem, apagadas como?

2. Em 4 anos preenchi um número rídiculo de inquéritos onde sou obrigada a mencionar a minha religião, a minha etnia, etc. Quando questiono o porquê, que não quero dar esses dados por serem privados, dizem-me que é para garantir que todas as pessoas têm direito a emprego ou para saberem como lidar com a pessoa a nível médico… Eu continuo a achar que é uma extrema invasão da privacidade!!! Na minha universidade, pus que a minha etnia era outra e escrevi “cidadã do mundo”. Durante os 4 anos que lá estive, recebi 3-4 cartas a dizer que era imperioso que desse a informação correcta já que o meu ficheiro não poderia entrar na base de dados…

3. A nível dos media… Se me  parece que os media controlam a sociedade em Portugal (e pela amostra a que tenho acedido, são pessoas sem formação nenhuma!), aqui no UK é chocante! Claro que há sempre jornalismo de extrema qualidade e importância. Mas estou a falar das agências noticiosas. Por exemplo o caso dos McCann… As pessoas nem imaginam como a informação foi filtrada no UK! Eu ia lendo as notícias em Portugal, depois aqui e sinceramente parecem dois casos completamente diferentes!!! Por isso é que há tantos ingleses a defender os McCann… Mas isto dava material para mais um post e não me apetece.

4. DNA. Aqui, a partir do momento que se vai a uma esquadra, por exemplo para dar identidade devido a um acidente de carro, o DNA é recolhido e fica numa base de dados para sempre! O problema é que através dessa alargada base de dados, podem encontrar suspeitos através de familiars sem que as pessoas saibam que são elas que estão a denunciar a mãe, o pai, a irmã, o marido etc! Para mim isto é chocante! Não entrando em juizos de valor sobre o crime e o criminoso, nunca quereria estar a denunciar alguém que me é querido e ainda para mais sem o saber! É uma violação clara do meu direito de escolha! Esta base de dados ainda está a gerar um largo debate, mas para mim, desde que haja uma minoria contra, esta base de dados alargada não deveria existir!

5. Mas o que recentemente mais  me tem chocado são os inumeros relatos de fotógrafos amadores que, só por estarem a filmar/fotografar centros de cidades (por exemplo durante desfiles de Natal) são levados à esquadra e chegam a passar noites em celas! Chocante? Muito! Estas pessoas estavam calmamente a praticar o seu hobby quando polícias os interpelam por acharem o comportamento suspeito (ya, tirar fotos, muito suspeito!) e, mencionam o numero blabla secção blabla do acto anti-terrorista para exigir que o cidadão dê o seu nome e morada. Se o cidadão der, pedem por rádio para verificar se está nalguma base de dados terrorista; se não der, mudam de terrorismo para comportamento anti-social para justificar a prisão! Imaginem estarem sossegadamente a tirar fotos, ser interpelado por um polícia que acha que somos terroristas e quando nos apercebemos já estamos numa esquadra! De notar que aqui no UK não há bilhetes de identidade e as pessoas não são obrigadas por lei nenhuma a andar com identificação.

Conclusão, as sociedades ocidentais estão TODAS, sem excepção (França com os muçulmanos, por exemplo) a ameaçar as liberdades dos cidadãos. Não é correcto, em país nenhum. Mas acho essencial que se saiba que não é só neste ou naquele país que isto acontece. É em todos, sem excepção. E pessoalmente, pelo que me tenho apercebido, os media são o instrumento preferido para justificar estas restrições ao cidadão comum.





Worst of England II

22 02 2010

(from a Portuguese point of view)

E já agora, uma das inglesices que mais desgosto: a pontualidade inglesa! Sim, sim, a pontualidade!

Já sei que se todos fossemos pontuais ninguém ficaria à espera, ninguém desperdiçaria tempo…

Mas, dizer a convidados para aparecerem por volta das 7:00 e às 18:56 a campainha estar a tocar é demais!!! Principalmente, se por detrás da campainha estiver uma portuguesa que, não só ainda não tomou banho, como ainda está a acabar de preparer os aperitivos!

Resultado? Pois… Bacalhau com natas era bom, não era? Pois era… Foi antes um empadão de bacalhau sem sal…

Com o stress de tomar banho e arranjar-me enquanto os convidados subiam 4 andares de elevador, pôr a mesa com eles já sentados e enquanto cozinhava (e mencionei o facto de não gostar de cozinhar???), acabei por cozer as batatas em vez de as fritar!!!! Bacalhau com natas! … Era bom, pois era… Vergonha!!!!

E já há uns tempos, numa festarola organizada no meu mini-apartamento, dissemos a partir das 9:00 e claro, às 8:45 já estava a primeira convidada, sozinha, sentada na sala a olhar para mim e para o meu chico transformados em baratas tontas a acabar tudo… E vá lá que dessa vez eu até já estava arranjada! 😉 E como ela disse “fashionably early”… no comments!

Conlusão: quando convidarem ingleses estejam prontos meia hora antes do combinado porque é certinho que, pontuais como só eles, estarão à vossa porta entre 5-10 minutos antes da hora (sim, um confessou-me ter estado 15 minutos à porta, ao frio, para garantir que estava na minha casa à hora combinada…)!