Provins

10 08 2010

No Domingo fui até Provins, com a grande companhia da C.

Provins é uma cidade medieval linda, com 53 edifícios classificados como património mundial pela Unesco. E realmente parece ter parado no tempo, entre os séculos XI-XV, pelo que é difícil não parar a cada esquina para contemplar a arquitectura medieval.

A apenas 1.30 min de Paris, é um excelente destino de um dia para quem já conhece bastante bem a capital.

A não perder a visita aos subterrâneos (3 km de galerias, segundo a guia).





Como um vulcão

17 04 2010

Entramos no século XXI completamente mimados com luxos que ao fim de tantos anos estão finalmente disponíveis para uma maioria. E no meio de tanto mimo, as nossas origens foram esquecidas e a nossa realidade deturpada.

Voámos para aqui e para ali: hoje janta-se em Londres, amanhã há reunião em Milão e acaba-se o dia numa ópera em Praga.

Primeiro, o mundo era plano. Depois passou a redondo.

E agora? Agora é um amaranhado de rotas por trás de um simples click. O mundo tornou-se numa realidade virtual na qual passamos a maior parte do nosso tempo por trás de ecrãs a “jogar” com a nossa vida. Quase todos temos toda a nossa informação, pessoal e profissional, digitalizada. Dinheiro? Digital. Trabalho? Digital. Lazer? Digital. E foi desta realidade virtual que fomos arrancados este fim de semana.

Entramos no século XXI esquecidos de quem somos, das nossas origens.

Esquecemo-nos que somos animais e que vivemos numa Terra dinâmica.

E quando uma erupção vulcánica nos arranca deste mundo virtual, ficamos perdidos, sem planos e atordoados.

Vivo num país, o meu namorado vive noutro, a minha família noutro ainda e os meus amigos, esses estão cada um em seu canto… Tem sido uma vida aventureira, com muitas partidas para o desconhecido sempre com a certeza de que facilmente estou com quem quero ou preciso.

Mas este vulcão mostrou-me que  também essa certeza é virtual.

As distâncias são reais, não estão “apenas” ao alcance de um click…

E foi assim, de uma erupção vulcânica que o meu Mundo se voltou a tornar redondo e enorme…





Abri os olhos e…

5 04 2010

Uma vida parece que passou desde o meu último post e desde que este blog se iniciou, há um aninho atrás. Na altura, a última fase do doutoramento iniciava-se e eu já tentava lutar contra a monotonia que reinou nestes 12 meses.

No entanto a vida continuava a rebolar, mesmo quando sentia o tempo parado e foi o tempo que me pregou uma grande partida! Apesar de me percepcionar num dos momentos mais letárgicos da minha vida, a verdade é que muito aconteceu e mudou… As mudanças foram rapidíssimas e enormes e talvez seja isso que agora me arregala ainda mais os olhos e me faz pestanejar incrédula, a tentar descrever como tudo aconteceu.

Pois bem, apesar da monotonia da tarefa, o doutoramento foi concluído, o que pôs fim ao meu ciclo estudantil.

Acabei por arranjar uma posição num dos lugares mais conceituados da minha área e, apenas uma semana após a chegada, já só sinto ideias a borbulhar num ambiente extremamente estimulante.

Mudei de sítio. Sayonara à cidade pacata e Olá a uma das cidades mais cosmopolitas. Ainda me sinto meia perdida, principalmente com a mudança de língua. Uma nova cidade, uma cultura diferente, um novo trabalho. Estou excitadíssima e parece-me que em tudo mudei para melhor. Para já não vejo esta cidade como a “minha cara”. Terá de competir com Lisboa (e muito), mas vou dar-lhe uma grande oportunidade.

Mas acima de tudo, tive muito tempo para pensar e analisar o meu lugar no mundo. Sei que há muito que me sinto em casa em qualquer lugar, mas fazem-me falta as amizades fortes que fui deixando para trás e que a distância não me permite nutrir como gostaria. A minha família ajuda-me a sentir bem onde quer que esteja, já que constantemente me relembra que está sempre comigo. Perdi muito nos últimos anos, mas ganhei outro tanto e parece-me que a vida é isso mesmo. Levei bofetadas, de amizades que achava para a vida… Mas apesar de quem mais me quer me dizer para aprender a não acreditar tanto, não me oferecer assim aos outros, sou teimosa e continuarei a dar a minha alma a quem a quiser. Levarei mais bofetadas? Talvez. Provavelmente. De certeza… Mas não sei ser de outra maneira e sinceramente, também não quero ser. Não me quero tornar como essas pessoas, usar e abusar enquanto preciso e depois “tchau-tchau, arrivederci”.  Afinal, o meu lema de vida é ou não é “Sê a mudança que queres ver no mundo?”. E já por estas novas bandas, alguns sorrisos me foram presenteados, por pessoas super prestáveis que me ajudaram imenso a ambientar a esta nova casa (já agora, obrigada Clarita).

E agora, os sonhos continuam e ainda mais fortes do que há um ano atrás. A motivação está em alta e num só dia fiz o que andei 6 meses para fazer. Quero muito trabalhar e trabalhar muito. E aos pouquitos, quero conhecer esta nova cidade.

Onde estarei daqui a mais um ano? Não sei. Mas não me preocupo muito porque sei que esteja onde estiver, estarei bem.





New destination III

25 03 2010

Ponto de stituação:

Está tudo pronto, 4 malas grandes e duas pequenitas…

Daqui a umas horas, estarei pela primeira vez no Eurostar a caminho do meu novo destino.

Tchau, tchau Inglaterra! 🙂





Bird’s eye

22 03 2010

Estava com uma directa em cima, mas o dia estava com uma luminosidade tão perfeita que não consegui tirar os olhos da janela. E, lá pelo meio de muitas montanhas, um aglomerado de casas chama-me a atenção… Será que é? É tão longe… Mas parece mesmo! Até parece a barragem ali ao lado! Tirei a foto para depois comparar com uma imagem de satélite e… era mesmo! Aqui está, uma foto aérea da terra da minha mami!

E como a viagem continuou a oferecer-me uma vista fantástica, a chegada ao Porto ofereceu-me este espectáculo:

Que me lembrou de, há uns bons anos atrás, a minha linda cidade me ter recebido assim:

E é por estas pérolas que não percebo as pessoas que mal chegam ao avião fecham os olhos e só os abrem depois da aterragem! 😉

PS: Ryanair: don’t you want to start sponsoring my trips? I can take loads of pictures and post them here! 😉




Standby

10 03 2010

Há uma semana que não escrevo nada por este cantinho…

Apesar de muitas festas e jantares, parece que cá dentro nada se passa, sou uma passageira a ver a vida a passar. Tenho andado num estado letárgico em que o Tempo vai passando como nunca o tinha sentido antes.

Será que não? Ao escrever isto parece que afinal sim, já antes senti isto. Aquele mês de Setembro, antes de me mudar para a Dinamarca. Sim, foi assim. E também aquele outro Setembro, antes de mudar os 15kg de mala para Inglaterra… Foi igualmente assim.

Afinal a diferença parece ser apenas no mês, desta vez Março é o mês pasmaceiro.

Amanhã entro na recta final: Madrid –> Portugal –> voltar: entregar a versão final da tese, festa de despedida, fazer as malas –> Paris!

E um nozinho no estômago começa a apertar à medida que se torna cada vez mais real… 🙂





Shame on me!

22 01 2010

Reparei agora que 2009 foi o ano em que menos viajei desde os  meus 10 aninhos…

Mas já estou a tratar disso… 😉